sexta-feira, 5 de outubro de 2012

ABRIGO BOM BOSCO


ABRIGO BOM BOSCO

Breno Henrique

O Abrigo Dom Bosco É um espaço de proteção provisório e excepcional, destinado a crianças e adolescentes privados da convivência familiar que se encontram em situação de risco pessoal e social.

O abrigo Casa Dom Bosco atualmente acolhe adolescentes que já passaram por outras instituições e que são encaminhadas pelos Conselhos Tutelares e Juizado da Infância e da Juventude que determinam à medida de proteção, além disso, o período de permanência no abrigo é provisório e excepcional. Atendem até 15 adolescentes na faixa etária de 12 a 17 anos 11meses e 29 dias do sexo masculino, em situação de risco pessoal e com trajetória de vida na rua, e também aquelas crianças e adolescentes que se encontram desprotegidos, vulnerabilidade, exclusão social e aquelas que precisam de proteção apoio e afeto.

Portanto, a Casa Dom Bosco, através de seus programas vem ajudando numerosos jovens no resgate a cidadania e no direito de viverem com dignidade. A formação dos adolescentes se dá através de curso de introdução à informática, apoio pedagógico, reforço escolar, atividades de capoeira, esporte e lazer, acompanhamento psicológico e social. Após um período de reeducação e socialização, os adolescentes são encaminhados a escola e ao trabalho. Há freqüentes momentos de reuniões e celebrações com ativa participação deles.

Entrevista com a assistente social do Abrigo Dom Bosco Karine via e-mail:

Qual é a atuação do Assistente Social frente á aplicação do Estatuto da Criança e do Adolescente, tendo em vista a medida de proteção do abrigo?

A atuação do Assistente Social se dá no âmbito dos direito e de deveres. A medida protetiva de abrigo perpassa pela idéia de proteção à criança e o adolescente que necessita de interromper os vínculos familiares por um determinado período que se encontra em situação de risco pessoal e social. Portanto, cabe ao Assistente Social fazer com que os direitos e deveres sejam cumpridos considerando a medida em si, mas também todos os outros direitos que a criança e/ou adolescente necessita para o seu desenvolvimento. E não perder de vista a garantia da convivência familiar e comunitária que atualmente é o carro chefe dos procedimentos do acolhimento institucional (abrigamento).

Os adolescentes são realmente preparados a serem protagonista de sua história?

Olha, é uma pergunta difícil de responder. Dentro da proposta pedagógica do acolhimento Institucional, o adolescente passa por todos os procedimentos que são característicos do acolhimento: acolhida, permanência e o desligamento. Visando a provisoriedade e excepcionalidade do acolhimento institucional. No período em que o adolescente permanece acolhido na instituição de acolhimento institucional são preparados sim. É um processo que exige tempo e disponibilidade da própria pessoa. Infelizmente nem todos os adolescentes se coloca nessa disposição. Há um conjunto de fatores que contribuem para esse passo.

Em que o abrigo ajuda na construção da identidade e do projeto de vida da criança e do adolescente?

A pergunta é um pouco parecida com a anterior, acredito que é um outro grande desafio para nós trabalhar o projeto de vida de uma pessoa. Nos educadores temos que tomar muito cuidado para não idealizar o projeto de vida de outrem. O abrigo trabalha e ajuda sim na construção e reconstrução da identidade através do próprio nome, dos desejos, das vontades, do vínculo familiar e conjuntamente o projeto de vida que tem que ser construído juntamente com a criança e/ou adolescente.
O abrigo Casa Dom Bosco para os adolescentes tem função de lar ou transitório?

Primeiramente a medida protetiva é excepcional e provisória. A comunidade educativa não pode perder de vista estas premissas. Alguns adolescentes se sentem tão frágeis pela ausência da convivência familiar que não querem mais sair do abrigo. Às vezes falamos do mal necessário que é a instituição. Alguns adolescentes foram institucionalizados a anos que acabam se identificando com a mesma e tem muitas dificuldades de viver sem a instituição. Preocupado com esta questão e outras conseqüências que a institucionalização traz que o CONANDA fez as orientações técnicas sobre o acolhimento institucional e também o Plano Nacional a convivência Familiar e comunitária para um atendimento de qualidade a crianças e adolescentes visando os direitos e deveres prevendo um projeto de vida digno, cidadãos honestos e com capacidade como qualquer outro indivíduo que tem a felicidade e alegria de viver com uma família que exerce de fato a sua função.

Quanto ao retorno familiar do adolescente, a instituição procura um apoio nas redes para um acompanhamento dos adolescentes?

Sim. O abrigo conforme preconiza no Estatuto da Criança e do Adolescente tem que acompanhar o adolescente. No caso do Abrigo Casa Dom Bosco fazemos o acompanhamento do adolescente e a família pelo período de seis meses. Este acompanhamento se dá através da freqüência escolar, visita domiciliar, se houve de fato alguma mudança na família, se o adolescente tem conseguido mudar suas atitudes e comportamentos na convivência familiar. Se a família está inserida em algum serviço na rede local como, por exemplo, o CRAS, programa de socialização, Centro de Saúde e outros serviços e programas existentes dentro da sua rede de relacionamentos.



Comentário:
(Breno Henrique)

Este abrigo é fundamental para BH, pois dão às crianças e adolescentes seus direitos fundamentais de moradia e a uma vida digna. São crianças e adolescentes que foram abandonados ou não possuem família. É obrigação do estado, promover estes projetos para garantir os direitos fundamentais destes jovens. Assim, conseqüentemente aumentará a segurança na cidade, porque estes jovens poderiam estar roubando por ai, ao invés de produzirem frutos para o futuro.



O abrigo Dom Bosco está localizado na Rua: Antônio Francisco Lisboa, nº. 1685 Bairro: Itatiaia CEP: 31.365-770 Belo Horizonte/ MG.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário